D E S D E  1 9 3 2

A Associação dos Bombeiros Voluntários de Azambuja organizou-se em Março de 1932, após a dissolução do Corpo de Bombeiros Municipais.

As dificuldades para a constituição desta coletividade e as que se seguiram nos seus primeiros anos de existência foram grandes.

Mas, com a boa vontade daqueles que de alma e coração haviam metido ombros a tão simpático empreendimento, souberam vencer todos os

obstáculos e esquecer todos os dissabores nesse período, conseguindo a realização de algumas aspirações que, parecendo pouco, atestam, sem dúvida, o produto de muito esforço e dedicação.

Naquela altura com as ajudas dos seus associados, um pequeno subsídio das Companhias de seguros e alguns donativos, sobreviveu sempre.

Se atendêssemos às dificuldades inerentes a uma organização

desta envergadura naquela época, sob os pontos de vista material e moral, não podemos deixar de reconhecer que alguma coisa se fez.

A Comissão Administrativa da Câmara Municipal, no intuito de coadjuvar esta instituição, comprou uma casa na Rua Victor Cordon, oferecendo-a para ser convenientemente adaptada a Quartel.

Com esta valiosa oferta, a Associação dos Bombeiros Voluntários de Azambuja, representada pelas pessoas que a orientam e administram, tem dado auxílio a todos aqueles que precisam.

Missão

Ao Corpo de Bombeiros de Azambuja competem as seguintes missões

  • A prevenção e o combate a incêndios;
  • O socorro às populações, em caso de incêndios, inundações, desabamentos e, de um modo geral, em todos os acidentes;
  • O socorro a náufragos e buscas subaquáticas;
  • O socorro e transporte de acidentados e doentes, incluindo a urgência pré-hospitalar, no âmbito do sistema integrado de emergência médica;
  • A emissão, nos termos da lei, de pareceres técnicos em matéria de prevenção e segurança contra riscos de incêndio e outros sinistros;
  • A participação em outras atividades de proteção civil, no âmbito do exercício das funções específicas que lhes forem cometidas;
  • O exercício de atividades de formação e sensibilização, com especial incidência para a prevenção do risco de incêndio e acidentes junto das populações;
  • A participação em outras ações e o exercício de outras atividades, para as quais estejam tecnicamente preparados e se enquadrem nos seus fins específicos e nos fins das respetivas entidades detentoras;
  • A prestação de outros serviços previstos nos regulamentos internos e demais legislações aplicáveis.

Valores

As regras básicas de referência que entendemos que devem orientar a atuação de todos nesta atuação

  • Respeito;
  • Integridade;
  • Eficiência;
  • Excelência;
  • Qualidade;
  • Solidariedade.

Marcos Importantes

Março de 1932
Concedido pelo Presidente da República
Grau de Cavaleiro de Benemerência

12 de Dezembro de 1935
Diploma de Sócio Coletivo

4 de Abril de 1968
Diploma de Sócio Coletivo

18 de Janeiro de 1998
Diploma de 66 anos de relevantes serviços prestados à comunidade

19 de Agosto de 1999
Diploma Louvor

31 de Janeiro de 2004
Louvor pela atividade operacional desenvolvida ao longo do ano de 2003

18 de Dezembro de 1975
Distinção – Medalha de Ouro de 2 estrelas

3 de Dezembro de 1980
Medalha Ouro – 2 Estrelas

21 de Março de 1995
Medalha de 1ªclasse da Cruz de Malta

1 de Novembro de 1995
Ano das Comemorações dos 600 anos dos Bombeiros Portugueses

20 de Maio de 2004
Medalha de Mérito Municipal – Grau Ouro

4 de Dezembro de 2006
Louvor pela atividade desenvolvida em 2006

14 de Janeiro de 2007
Medalha de serviços distintos – Grau Ouro

30 de Janeiro de 2007
Medalha de mérito de proteção e socorro

11 de Março de 2012
Diploma Condecoração Comemorativa do Centenário
Medalha “Vida por vida”

18 de Janeiro de 2014
Crachá de Ouro

Faz parte da nossa história